28 novembro 2014

Coisas que dizemos



E quantas vezes você falou que não queria, só para ver se iriam insistir? Você até queria, mas não insistiram. 

Às vezes você fala que não pode, mas é porque não quer.

Outras vezes você diz que não pode, porque não acredita poder. 

Algumas poucas vezes, bem poucas mesmo, você realmente não pode. E, se bobear, ainda nessas raras ocasiões, se espremesse as horas, se apertasse o passo, até poderias. 

25 novembro 2014

Meu sonho de papel


Alguém desliga a internet e a TV, por favor. Deixem o ambiente com claridade boa, nem demais, nem de menos. Humm, o dia tá nublado, que ótimo! Você me prepara um chocolate quente, por favor? Não quero muito doce, tá? 

Calem todas as vozes e ruídos. Nada de motores, nada de tambores. Não me chamem por nada. 

Só me deixem aqui, sozinha, com meus livros; quero entrar nesse universo onde tudo é possível. E nunca mais voltar.